EMEF DR JOÃO PEDRO DE CARVALHO NETO
escolajoaopedro.com.br
jp2.jpgjp3.jpgpgina_1_4284.jpg
Contador de acessos:

download_%281%29.jpg

       Esta Escola pertence a Secretaria Municipal de Educação do Município de São Paulo, mas todas as informações e opiniões presentes neste site são responsabilidade do Conselho de Escola  da EMEF DR. JOÃO PEDRO DE CARVALHO NETO, desta forma não representam necessariamente opiniões da Secretaria Municipal de Educação.

BT7.jpg

REGIMENTO EDUCACIONAL DA ESCOLA


        Regimento Educacional aprovado pelo Conselho de Escola em 18/11/2013 e homologado pelo senhor Diretor Regional de Educação através da Portaria 185 de 16/12/2013(Publicada na página 21 do D.O.C. de 19/12/2013).

BOTAO_SGP.jpg

 

A EMEF DR. JOÃO PEDRO DE CARVALHO NETO, pertencente a estrutura da Secretaria Municipal de Educação, foi fundada em 1988 e hoje é considerada uma das melhores escolas da região de Campo Limpo, tudo isso graças ao trabalho dos educadores, esforço de nossos alunos e participação dos pais e responsáveis.



                                                     Objetivos


                  I- Transformar todo espaço de convívio na Escola em ambiente de trabalho colaborativo e solidário para garantia dos Direitos de Aprendizagem dos alunos;

          II-  Melhorar o índice do IDEB nos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental e garantir a alfabetização na idade certa (até os 8 anos) para todos os alunos matriculados na U.E.

                      III -   Formar um cidadão com domínio do cálculo, da leitura e da escrita;

             IV - Colaborar na formação de cidadãos capacitados para o mercado de trabalho e mostrar aos mesmos que eles têm diversas possibilidades de crescimento social e que devem aproveitar todas as oportunidades oferecidas por entidades públicas ou privadas (cursos, bolsas, etc) e assim sustentar a si próprio e sua família com dignidade;

                     V -   Incentivar a participação das famílias, seja no acompanhamento de vida escolar, nos colegiados APM e Conselho de Escola e programações diversas, como festas e mostra cultural.

                       VI -Contribuir na formação de um cidadão:

a.  capaz de cumprir regras, pagador dos seus impostos, cumpridor dos seus deveres e consciente para que também, depois de cumpridos os deveres, possa exigir seus direitos;

b.      que tenha consciência e respeito pelos direitos de seus semelhantes;

c.     com consciência para lutar por melhorias na sua qualidade de vida e na qualidade de vida de seus semelhantes;

d.    que exerça seus direitos, sem jamais prejudicar o exercício dos mesmos direitos por seus semelhantes, bem como sem causar qualquer malefício ou prejuízo a seus semelhantes.


 

                                                            Princípios


Acreditamos que tudo é alcançado através de luta e esforço pessoal e coletivo. Desta forma, estudar é antes de tudo um caminho que percorremos para o alcance de um sucesso futuro ou qualidade de vida melhor;

Entendemos que é necessário incentivar e apoiar valores morais Cristãos, como amor ao próximo, perdão, tolerância, paciência, etc. para que a convivência com as diferenças ocorra de fato e de forma respeitosa. Logo, não cabe na comunidade escolar: menosprezar ou diminuir ateus, seguidores de outras religiões ou minorias raciais e o respeito à opção/orientação sexual de cada um é legítimo, sempre resguardando o caráter laico do Estado;

 

Compartilhamos também com alguns dos princípios da Constituição:

I -                Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola, desde que não impeça igual exercício deste direito pelos demais alunos (ver artigo 206 da Constituição);

II -           Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber (artigo 206 da Constituição);

III -                Pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas (Inciso III, Art 206, Constituição), desta forma discordamos de qualquer crença pedagógica que se apresente como certa e verdadeira em relação a outros pontos de vista;

IV -                  Gestão Democrática do ensino público, na forma da lei(inciso VI, Art 206, Constituição), desta forma lutamos pela autonomia das escolas, onde pais e alunos possam realmente participar do processo decisório e que suas decisões façam diferença no dia a dia das escolas, valorizando-se a opinião da sociedade e não somente a de pensadores e técnicos;

V -  Garantia de padrão de qualidade (inciso VII, Artigo 206, Constituição), desta forma não queremos formar analfabetos funcionais e sim pessoas capazes de se inserir na sociedade e no mercado de trabalho com sucesso;

VI -                      A educação também é dever da família visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho (conforme Artigo 205 de nossa Constituição);


 

Aceitamos a Ciência e o seu caráter experimental, discordando de qualquer forma de pseudociência, principalmente filósofos sofistas na área de educação;

Entendemos que é importante considerar a meritocracia, pois as pessoas devem ser valorizadas por seus méritos e esforços;

A pontualidade e o esforço de cada um são fundamentais para honrar seus deveres, promessas e compromissos.

Por fim, discordamos e combatemos: a preguiça, a desonestidade, a indisciplina, a violência, a falta de responsabilidade de alguns pais em relação a seus filhos, a falta de respeito para com nossos semelhantes, qualquer tipo de preconceito social, de sexo, de raça e outros, inclusive os preconceitos relativos às Concepções Pedagógicas chamadas de “Conservadoras”;

Rejeitamos qualquer viés político partidário no sistema educacional, pois a educação deve estar alinhada com as necessidades do povo e com os valores de nossa Constituição, jamais servindo a interesses políticos;

Discordamos dos chamados pensadores progressistas da educação, quando expressam suas opiniões desvinculadas do dia a dia da escola, fazendo-se de arautos da verdade, sofistas e servindo a interesses inconfessáveis;

Repudiamos o descaso com as instituições públicas, falta de recursos financeiros para serem investidos diretamente pelas escolas, pois as Associações de Pais e Mestres devem e podem ajudar na garantia de uma verdadeira qualidade de ensino.

botao_boletim.jpgBOTAO_TECLA.jpg